quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Crítica do livro "The Little Book of Common Sense Investing"

Conhecedor há algum tempo da filosofia de investimento exposta por John C. Bogle, CEO da Vanguard (uma das maiores empresas de fundos de investimento do mundo e gestora de 1 trilhão de dólares) resolvi ler um livro simples e despretensioso chamado "The Little Book of Common Sense Investing", ou , traduzido livremente por mim "O pequeno livro de investimentos de senso comum", do referido autor. Procurei e não achei versão em português. Obviamente, a versão que li foi em inglês.

Quão comum é a idéia, ainda mais nessa selva chamada Brasil, de que o investidor, com paciência, estudos e dedicação pode conseguir retornos superiores ao benchmark? De que investimentos em ações é algo perigoso mas que, com muito estudo obstinado e algum gut feeling qualquer sardinha pode virar tubarão tendo retornos de vários porcentos mensais, destruindo o índice e saindo vencedor ante a horda de traders fracassados?

Pois bem, o livro destrói essa pré-concepção e mostra que o investidor médio não ganha, mas sim perde vários porcentos anuais frente ao índice ano após ano. Os motivos são óbvios: altas taxas de administração, alto ritmo de turnover (pros iniciantes, turnover = ritmo de negociação do seu portfolio) e busca incessante de performance.

O livro, de fato, possui argumentos extremamente simples e de até certo ponto senso comum, sendo portanto um livro recomendadíssimo para iniciantes. As consequências, porém, são drásticas: Se você não está diversificado, se você possui um fundo que cobre uma alta taxa de administração (1% = alto!), se você negocia frequentemente, se você entra e sai do mercado a todo momento, você está fazendo algo errado.

A recomendação, portanto, é o inverso dos fatores que tendem a tirar os retornos dos investidores: Investir em fundos que abranjam todo o mercado, que possuam taxas de administração baixíssimas e, principalmente, que sejam passivos. Os gráficos falam por si sós:

Ou seja, menos de 10% de todos os fundos de investimentos ativos conseguiram um retorno consistente acima do índice.

Ou seja, a escolha do fundo médio ao invés de permanecer no índice equivaleu a você ter apenas +-1/3 do patrimônio total possível.

Aí você argumenta: "Mas Viver de Renda, aí representa o fundo médio... se eu escolher apenas os melhores fundos, com os melhores administradores, que tiveram os melhores históricos de retorno passados, eu conseguirei ter um retorno superior ou, no pior dos casos, igual ao do índice!"

Vejamos o próximo gráfico:

Ou seja, mesmo os fundos que tiveram rendimento médio acima do índice, após o pico tiveram retornos muito piores do que o benchmark. Portanto, se rentabilidade passada indica alguma coisa, é que quanto maior o retorno passado MAIS LONGE você deve passar do fundo!!!

O livro também analisa ETFs, perspectivas para o futuro, aplicação em fundos de renda fixa dos conceitos apresentados no livro, dentre outros assuntos. O mais interessante, no entanto, seria o argumento principal que aposto que algum dos leitores já estão pensando: "Mas e o value investing?!? E o Buffettttttttt?!??? Ele bate o índice ano após ano! Se ele consegue por que eu, com estudo e dedicação, não posso conseguir o mesmo?"

Pois bem, o próprio Buffett responde: "A low-cost index fund is the most sensible equity investment for the great majority of investors. My mentor, Ben Graham took this position many years ago and everything I have seen since convices me of its truth".

Os motivos de tal opinião são claros: "[the majority of investors] do not have the time, or the determination, or the mental equipment to embark upon such investing as a quasi-business. They should therefore be satisfied with the reasonably good return obtainable from a defensive portfolio, and they should stoutly resist the recurrent temptation to increase the return by deviating into another paths."

Como é óbvio, não posso replicar aqui por completo toda a argumentação desenvolvida pelo autor no livro. Para tanto, só você lendo o mesmo. Como já disse anteriormente, recomendo, aliás, eu IMPLORO para que você leia o livro. Nossa literatura nacional é completamente alienada ao investimento passivo e, por consequência, ilude milhares de pessoas ano após ano a realizar inúmeros trades na expectativa de bater o mercado (mais trades = mais comissões = menor retorno médio) e achar que pagar 4% de taxa de administração anual em um fundo é normal. Está aí uma receita para te deixar mais longe da tão sonhada independência financeira!

Crítica dedicada à minha amiga Alessandra!

43 comentários:

  1. Mais um ótimo post, IF42! :)


    O investimento em fundo de índice proporciona retornos bons com baixo custo de transação, e libera o investidor, que não quer ficar estudando o mercado, para fazer outras coisas.


    Aliás, essa estratégia de investimento em fundo de índice também é seguida pelo Trent Hamm, do The Simple Dolllar.



    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus lhes abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Vc tem razão em dizer que minha literatura é de baixa qualidade! (não leio só seu blog não rs)
    Vida muito sem graça assim.

    ResponderExcluir
  3. A humildade também é uma variável importante em nossas vidas.

    ResponderExcluir
  4. Ditodegas, veja o comentário q fiz no post anterior!

    ResponderExcluir
  5. É isso aí. Acredito firmemente que o investimento passivo no indice associado a uma boa asset allocation seja a forma mais sensata e mais embasada de investimento. Vamos divulgar estes conceitos pois aqui no Brasil a idéia predominante é especular com base em análise técnica, achando que podem prever o futuro.

    ResponderExcluir
  6. VIVER de RENDA,
    Tenho acompanhado seu blog e do HC investimentos, e tenho um relato a fazer: eu em 2007 fiz um monte de besteiras querendo bater o IBOV e mais perdi que ganhei. Se tivesse comprado só petr4 ou vale5 (exemplo apenas) e nada mais feito, teria tido um lucro absurdo. Fis swing trades, day trades, troquei ativos e não tinha nada em renda fixa. O tempo e o prejuízo são senhores da razão. Após ler 3 livros do Bastter, mudei minha vida, meus lucros e ganhei paz de espírito. Hoje, tenho PETR4 e remunero a carteira com venda coberta todos os meses, sendo exercido ou não (eu quero é a taxa acima de 2%/mês que as opções ainda dão) e tbm EURO11. Próximas compras: PIBB11 e títulos do governo. NSLU11b eu quero comprar, mas está a 195,00 (tá cara).
    Tenho 37 anos, mas aprendi que nunca devemos ter 100% em ações. Ben Graham indicava de 25% a 75% em renda fixa (nunca menos que 35%). Meu capital aplicado é grande, sou um poupador nato. Vc que recomendou um livro, te recomendo 2: O milionário mora ao lado e Mentes milionárias. Duas bíblias, com embasamento científico (nada de auto ajuda ou fórmulas de investir) para qualquer um aprender como viver para gastar menos e ter dinheiro para investir. Pai Rico, pai pobre, tbm recomendo (e muito). Aguardo seu artigo final sobre previdência privada. SDS.

    ResponderExcluir
  7. Em tempo, escrevi fiz com "s", erro na digitação. E tbm quando cito Ben Graham, leia-se: mínimo de 25% (e não 35%). SDS.

    ResponderExcluir
  8. Outra correção, o livro é "A mente milionária", e não Mentes Milionárias. SDS.

    ResponderExcluir
  9. Maspimentel, eu teria muito cuidado em ter apenas 1 ação em sua carteira. Leia o post do Henrique sobre diversificacao. Teria ainda mais cuidado vendendo opções cobertas... fora o gasto com corretagem, é muito ineficiente em termos de IR, o que invariavelmente diminui o retorno. Uma subida forte e você já está abaixo do índice. Mas você já deve saber de tudo isso.

    Confesso que a questão de 100% em ações não é tão bem aceita por parte da doutrina, mas eu tenho meus argumentos, baseados principalmente nos estudos de Jeremy Siegel e de Elroy Dimson.

    Já li os 3 livros e desses eu recomendaria apenas O milionário mora ao lado. Os outros dois eu considero livros muito muito fracos.

    No mais, parabéns pelo capital acumulado! Espero que você esteja na terra das duas vírgulas hahaha! ;)

    ResponderExcluir
  10. O que significa "terra das duas vírgulas"?



    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus lhes abençoe!

    ResponderExcluir
  11. E outra pergunta: qual livro do Jeremy Siegel vc leu?



    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus lhes abençoe!

    ResponderExcluir
  12. Bom dia!

    "(...) Se você não está diversificado, se você possui um fundo que cobre uma alta taxa de administração (1% = alto!), se você negocia frequentemente, se você entra e sai do mercado a todo momento, você está fazendo algo errado."

    Essa taxa de 1% a que você se refere como alta serve para qualquer fundo? Ou apenas Fundo de Índice, conforme citado pelo Hotmar no 1º tópico??

    FIA costumam ter taxas de administração que superam 1%/ano, porém o lucro líquido parece ser bom... Será que valem a pena?

    Desculpa se escrevi alguma bobagem, estou começando agora a ler alguma coisa a respeito do mundo das finanças e sou bastante cru ainda...

    Obrigado

    ResponderExcluir
  13. IF,
    Descordo de Vc. A Mente Milionária é dos mesmos autores de O milionário mora ao lado. São complementos. E Pai rico, pai pobre, vc é a primeira pessoa que considera o livro fraco... Não te ensina a investir, mas te orienta sobre deixar de gastar, pensar no futuro, procurar opções de investimento, ser empreendedor. Repito: recomendo e acho o livro fantástico no que ele se propõe, vou reler o mesmo em breve (por diversão).

    Vou bem na venda coberta de opções, pagar IR sobre lucros é muito bom. Faço isso há 3 anos. Dinheiro não aceita desaforo (nem erros). Minha meta é conseguir bater a renda fixa, simples assim. Se possível, 2% ao mês e vou fliz da vida me aposentar aos 45 anos. Pelo meus cáculos e atual fluxo de caixa, talvez até antes. Riqueza nãó é apenas quanto se ganha, mas quanto se conserva do dinheiro que ganhou!!! Meus pilares:
    - Pessoa jurídica.
    - Utilizar todos os benefícios fiscais (E LEGAIS) possíveis na minha declaração de IR.
    - Estou livre de dívidas, e quando as faço, posso pagar sem stress.
    - Negociar descontos sempre, até no sorvete!!! (rsrs)
    - Poupar e aplicar 50% ou mais do que ganho todos os meses.
    - Ler sempre e aprender com tudo e todos. Não adianta saber tudo de Ben Graham se nem conseguir controlar meus gastos eu sei... Por isso, repito e reafirmo: Pai rico, pai pobre, leitura obrigatória a meus filhos daqui há alguns anos. Educar é preciso, e educar financeiramente é vital para se conservar a riqueza por gerações. SDS.

    ResponderExcluir
  14. Em tempo, Viver de Renda,
    Excelente artigo este sobre o livro "Common Sense Investing".

    IF,
    Por estar 100% em grande posição em PETR4 na venda coberta é que há 1 ano não mais coloco dinheiro novo em ações. Minha idéia atual é comprar PIBB11, FII e Títulos do tesouro. Talvez encarteire GETI4 pelos seus dividendos (cash cow stock) e nada mais. Sei do risco de estar somente em uma ação, por isso mudei minha visão para 2010 em diante. SDS.

    ResponderExcluir
  15. Maspimentel, a mente milionaria é de T. Harv Ecker, e o milionário mora ao lado é de Thomas J. Stanley e William D. Danko. Acho os livros completamente diferentes, com bases totalmente diferentes. O primeiro é um típico livro de auto-ajuda; o segundo é quase um estudo sociológico.

    Eu conheço várias pessoas que, assim como eu, são bastante críticos ao Kiyosaki. Ele é muitíssimo criticado lá fora e não é levado a sério no meio financeiro, com razão a meu ver. O livro é melhor do que nada, claro, mas existem autores para iniciantes bem melhores que ele, como o Gustavo Cerbasi p.ex.

    No mais, eu não acho a estratégia de venda coberta nem rentável nem segura a longo prazo, mas você deve saber bem o que está fazendo. Por outro lado, você tem uma ótima noção de finanças pessoais, o que inexoravelmente te trará sucesso no futuro!

    Bom saber que está diversificando! Ninguém sabe o que pode acontecer com a Petro a longo prazo, e apostar todo seu futuro em apenas uma empresa com maioria de capital público seria temerário a meu ver!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ninguém sabe o que pode acontecer com a Petro a longo prazo"
      Realmente

      Excluir
    2. tomara que o Maspimentel tenha diversificado suas PETR...

      Excluir
    3. Existem dois livros com o mesmo título " A mente milionária", um do T. Harv Ecker e um do Thomas Stanley.

      Excluir
  16. Independência Financeira 42, se você não conhece, sugiro a leitura da história de Jacob, através do blog Early Retirement Extreme. Muito interessante!

    Em um post perdido lá ele levanta a questão da compra dos índices. Disse que era de se pensar se a alta do índice, como numa compra de massa, não dependeria da diferença entre "aposentandos" e pessoas entrando no sistema. Coisa a se pensar, não?

    ResponderExcluir
  17. Rodpba, conheço o site, é bem interessante, apesar do cara ser, no mínimo, excêntrico.

    Essa questão que ele comenta o pessoal lá nos EUA chama de "The Age Wave". É algo bem discutido por lá e de fato um problema real (para as bolsas dos países desenvolvidos). Alguns teóricos dizem que isso não vai chegar a ser um problema no futuro pois o excesso de capital iria para os países em desenvolvimento. Eu tenho minhas dúvidas, mas não tenho conhecimento suficiente do tema pra ter uma opinião formada a respeito. Como não é algo que vá afetar diretamente a bolsa brasileira, ainda não estudei a fundo o problema, mas é algo bem interessante sim!

    ResponderExcluir
  18. Mas considerando todo o período de retirada, é possível que nossa bolsa atinja esse patamar, não é?

    Off-topic: Você disse que não colocaria mais ads aqui, mas de repente pode colocar um link para compra dos livros de que faz resenhas. Se alguém pensar que você está "resenhando" só pra vender, problema dele.

    ResponderExcluir
  19. IF,
    Qual seu retorno em 2008? Consegui 46% com venda coberta de opções - enquanto muitos estavam desesperados. Achar nem sempre é saber. A verdade não tem um dono. O livro do Kyosaki, pelo visto vc novamente não entendeu o que escrevi, não é de finanças... para o bom entendedor, um pingo é letra. Adorei o livro, recomendo e te digo mais: se quiser aprender finanças de verdade, faço um MBA. Livros são apenas livros, e cada um tira seu proveito. Respeito vc não gostar do livro, mas não se trata de finanças... Trata-se do despertar para um futuro melhor e com poupança, aí cada um que estude para obter seus lucros e os melhores possíveis. Recomendo que vc leia algo do Bastter, informado vc terá uma visão melhor da venda coberta. Quem não quer 2% de juros compostos mensais (as vezes mais)? Eu aceito de bom grado, mesmo que a bolsa ande 80% no ano. Nada sobe eternamente, e aí vem o retorno da venda de opções. SDS.

    ResponderExcluir
  20. Em tempo: Gustavo Cerbasi acho fraquíssimo... o Mauro é um "conselheiro" melhor.

    ResponderExcluir
  21. Olá, acrescento meu ponto de vista à discussão, e que é o mesmo daquele casal que escreveu sobre conseguir o primeiro milhão: o livro "pai rico..." é uma caca considerando informações sobre investimentos, mas, para quem está iniciando, te faz sair da matrix de trabalhar-gastar-trabalhar mais... isto hoje pra mim parece óbvio, mas não o era até ler o livro e ter consciência de que poderia ter meu destino financeiro nas mãos ao invés de reclamar do patrão. Serviu como auto-ajuda sim, e foi uma senhora auto-ajuda, que mudou todo o modo como lidava com o dinheiro.
    Abraços,
    Alex

    ResponderExcluir
  22. Maspimentel, você tem conseguido 2% a.m. consistentemente durante 3 anos?

    ResponderExcluir
  23. Rodpba, isso depende mais da pirâmide demográfica do país... acho improvável passarmos por esse mesmo problema na nossa geração.

    Eu prefiro não ter qualquer tipo de motivação financeira nesse blog pra não passar dúvida de que não possuo outro interesse senão a difusão e troca de informações financeiras de qualidade.

    Maspimentel, o retorno de cada um é irrelevante. Meu retorno em 2009 forçosamente deve ter sido melhor que o seu mas isso não explica nada. A questão é que venda coberta de opções te traz um risco muito grande em mercados voláteis e se sai muito bem em mercados lateralizados. Dados os custos de IR e os custos de corretagem mais elevados eu não acho essa uma estratégia mais rentável ou menos arriscada que o buy and hold. Inclusive quem usou essa estrategia com Petro nos ultimos 3 anos perdeu feio pro buy and hold, se quiser te mostro depois um gráfico comparando os dois métodos durante dois anos com Petro.

    Quando a Kyiosaki, respeito plenamente a sua opinião, cada um tem o direito e a liberdade de achar o que quiser. Eu acho um autor fraquíssimo e errado em diversos pontos, pra mim o Cerbasi dá de 10 a 0 nele.

    Eu já dei uma olhada no livro do Bastter e tenho uma noção razoável de opções. Só entenda que esses 2% podem ser subtraídos a cada vencimento em caso de queda na bolsa. Você limita os ganhos mas não limita a perda. Como já falei, em mercados voláteis, tanto pra cima quanto pra baixo, essa estratégia sofre demais. Fora a ineficiência tributária e de custos que já falei contigo.

    ResponderExcluir
  24. ALEX,
    Vc tocou no ponto nevrálgico do livro do Kyosaki: sair da corrida dos ratos, pensar no amanhã. Para mim, valeu muito! Penso como Vc. O livro Pai rico, foi um start que me levou a ler mais de 43 livros sobre finanças. Foi a fagulha que acendeu minha mente a poupar, gastar menos do que ganho, pensar no futuro e em educar meus filhos FINANCEIRAMENTE! Valeu, para mim, por milhões de reais. Valeu meu futuro com grana, em paz e vivendo bem. O resto, como ganhar esta grana, corro atrás todos os dias e com sucesso. O livro não se propõe a te fazer rico, não te ensina investimentos (apesar de citá-los)... mas te leva a pensar em como não ficar pobre, limitado, sem espírito empreendedor e em busca do salário mensal cada fim de mês.

    rodpba,

    em 2008 consegui 46%, em 2009 fui exercido algumas vezes mas ganhei (menos que a Bovespa, claro) 32%. Corro atrás de 2% ao mês e vejo isso nas Opções (com venda coberta em PETR$ e VALE% tbm, mas agora só tenho PETR4. Cada um corre seus riscos e tem suas metas, o importante e estar satisfeito com o que se consegue e desde que seja acima da renda Fixa.

    Viver de Renda,

    Discussão saudável é o que vale, pois ambos aprendem. Nossa meta, se estou correto, é a educação financeira mútua e a troca de informações que nos rendam lucros! E já passamos da época de ler Pai rico, pai pobre (tenho certeza absoluta disso). Te mantenho informado das opções até o fim deste ano, e entendo sua preocupação tributária mas fujo ao máximo do exercício. SDS e lucros a todos nós.

    ResponderExcluir
  25. Maspimentel,

    Sábias palavras.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  26. Ichi.. ninguém me responde... (Anônimo, o lá de cima)

    ResponderExcluir
  27. Anônimo, vamos lá:

    Em termos matemáticos, 1% é muito. Em 25 anos você terá um portfolio 25% menor (ou seja, poderia ter um portfolio 33% maior), e em 50 anos você terá um portfolio 40% menor (ou seja, poderia ter um portfolio 66% maior). A relação aqui é exponencial com relação à taxa de administração. Infelizmente, não conheço um fundo de ações sequer que cobre menos do que 1,5% (e estes são fundos de uma ação só, com risco muito grande).

    Quanto à questão dos fundos renderem mais que o índice, a argumentação contra essa idéia está nesse post e, com muito mais profundidade, no próprio livro em discussão.

    ResponderExcluir
  28. Interessante seu blog. Também sou adepto das ETFs, porém escolhi a BOVA11. Eis o porquê (gostaria de suas opiniões): Apesar da taxa de administração ser bem menor no PIBB11, a liquidez também é bem menor, e um problema de se fazer aportes mensais em papeis com pouca liquidez é o custo do bid-ask spread. Para pegar dados desse momento, o bid-ask spread do PIBB11 está em 0,54, enquanto o do BOVA11 em 0,11. Eu sempre considero isso como custo, pois no longo prazo você sempre acaba comprando por um preço mais caro do que poderia, o que é o mesmo que uma taxa de administração cobrada no momento da compra. Fazendo alguns calculos, vi que esse custo excederia em muito, mas muito mesmo, a diferença das taxas de administração. Assim, optei pelo BOVA11, pois além disso tenho um pequeno ganho em diversificação também. Muita gente não considera bid-ask spread um custo, mas academicamente isso já é fato. Gostaria de sua opinião, obrigado e sucesso!

    ResponderExcluir
  29. Bom, mas para aportes no fracionario (que é o seu caso) a liquidez muda de figura mesmo. Interessante, nao tinha reparado ainda que a liquidez do PIBB11 no fracionario é melhor. Bom, cada caso é um caso, entendi sua escolha agora...

    ResponderExcluir
  30. Me aprofundando no assunto aqui, há que se considerar as taxas de aluguel também, aí a vantagem parece ser do BOVA11, que pela CBLC teve taxa média nos últimos negocios de 4% a.a. e o PIB11 de 1,30% a.a. É uma escolha complicada mesmo, mas acredito que os ishares tem maior probabilidade de aumentar a liquidez tanto no lote integral quanto no fracionario, e a administradora é a melhor do mercado em ETFs. Ainda estou pendendo um pouco para o BOVA11. Desculpe por alugar um pouco seu blog,, Abraço!

    ResponderExcluir
  31. Regis,

    Excelentes observações! Tanto a questão do spread do bid-ask quanto das taxas de aluguel são fatores que fazem uma diferença no longo prazo.

    Esse ano de 2009 eu papei mosca e fiquei líquido de novo... to querendo entrar em índices mas to com medo de entrar com tudo agora e a bolsa cair bastante...

    ResponderExcluir
  32. Regis, a questão do bid-ask spread é realmente interessante. Para evitarmos distorções, o ideal é medirmos o spread em percentual e não na diferença em reais, o que diminui em parte a aparente distância de liquidez do PIBB e do BOVA.

    Outro fator a se levar em consideração é que o spread você teoricamente só paga quando compra a ação/quota, enquanto que a taxa de administração incide ano após ano. Portanto, mesmo que eu incorra 100% no spread de 0,54, em um ano meus custos jão são menores que o do BOVA. Imagine daqui a 20 anos então...

    Por fim, uma questão interessante é que, apesar do spread, ainda estou para achar um trade em que eu tenha pago o mesmo. Como coloco apenas ordens limitadas, procuro estar sempre na ponta do "bid". Mesmo o mercado não sendo tão líquido, ele obviamente não é "seco" rsrs, e durante o dia volta e meia lancam ordens de venda a mercado. Nesse caso, quem pagou o spread foi o vendedor a meu favor. Veja que o spread deve ser pago quem tem mais urgência no trade, que pode ser tanto o bid quanto o ask...

    A questão do aluguel é interessante e realmente pode fazer a diferença, o problema é que é muitíssimo difícil conseguir estar com o portfolio sempre alugado, não duvido que em média no ano você não consiga alugar mais do que 10% das suas quotas. Além disso, desse percentual temos que retirar os 22,5% de IR. Outro detalhe é que a taxa real para os doadores é um pouco menor pois não está inclusiva a remuneração da corretora.

    ResponderExcluir
  33. Vinha preferindo o BOVA11 quando estava comprando lotes padrão. Mas com esta subida da bolsa e passando a comprar no fracionario tenho preferido agora o PIBB11 justamente devido ao spread menor no fracionario.

    ResponderExcluir
  34. Olá Viver de Renda!!

    Acho essa discussão bastante construtiva. Eu não costumo fazer aportes mensais nas ETFs, tanto que nem sabia como era o mercado fracionario, mas faço uns 4 a 5 aportes no lote padrao por ano em BOVA11, dependendo do ano. Estou até considerando começar a fazer alguns aportes mensais em PIB11, mas ainda vou ficar com o grosso da grana em BOVA11.

    Se me permitir, discordo da sua opinião de que quem paga o spread é quem tem mais urgência no trade. Se você tentar estar sempre na ponta do bid, corre o risco de não conseguir comprar a ação no momento, e se o mercado subir muito logo depois, terá que comprar muito mais caro, aumentando assim o custo do spread.

    Quanto ao aluguel, a chance de você alugar 100% da sua carteira em BOVA11 é muito grande. Pegando numeros da CBLC, nesse mes, 1.426.766 BOVA11 foram alugadas, enquanto somente 7010 PIBB11 o foram.

    Enfim, concluindo, com exceção de quem tem um plano financeiro bem estruturado (aliás, parabéns!) e com aportes mensais no fracionario, ainda creio que o BOVA11 seja a opção menos custosa. De qualquer modo, acredito que teremos opções bem melhores em um futuro próximo, pois é complicado deixar nossa aposentadoria na mao de apenas 50 empresas. Isso sem falar que as small caps historicamente oferecem retornos maiores no longo prazo.

    Mais uma vez, parabéns pelo blog e pelo seu sucesso!!

    ResponderExcluir
  35. Regis,

    Não concordo contigo com a questão do spread. Como eu estou sempre na ponta do bid quando invisto (um saco fazer isso, por sinal) é praticamente impossível passar um dia sem que alguém venda pra mim no bid, afinal diariamente são dezenas de negócios que há no fracionário. Além disso, mesmo se isso por ventura acontecer de eu não conseguir comprar no dia, do mesmo jeito que a bolsa pode subir a mesma pode cair.

    Quanto ao BOVA, eu não tinha consciencia que o mercado de aluguel era tão líquido assim. Com certeza é factível, portanto, ter 100% da carteira alugada. Fazendo os cálculos, cheguei rapidamente a conclusão que, de fato, a receita com o aluguel supera os custos de administração do fundo. Portanto, graças a essa nova informação, tentarei comprar um lote de BOVA esse mês para ver na prática a questão dos aluguéis. Dando tudo certo, o próximo passo é trocar todo meu portfolio de PIBB para BOVA, pelo menos enquanto as taxas de aluguel estiverem altas.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  36. Bom dia a todos !
    Meu nome é Roger, e já comprei ações diretamente, bem como investi em fundos de r.f., multimercados e ações; porém iniciei há mais ou menos 3 anos e meio, e estou sentindo que estou patinando pois não utilizei estratégias corretas(day-trades errados, comprei na alta e vendi na baixa, IPOS que não compensaram, enfim....
    Percebi que a estratégia de comprar PIBB+T.D.consistemente ao longo do tempo é realmente uma estratégia mais tranquila, e sistemática, com um foco mais preciso, pois literalmente, me falta tempo no dia a dia para acompanhar o mercado. ESTA SEMANA ESTAVA QUASE FECHADO COM O GERENTE DE MEU BANCO 4 CONTAS DE PREVIDENCIA(vgbl)para meus filhos, mas depois de ler este sensacional blog, fiquei na dúvida....
    Gostaria de saber (leigo !)todos os tramites para poder comprar todos os meses um pouco de PIBBS, ou BOVA, bem como como devo proceder para comprar TD. DETALHES:
    Gostaria de comprar PIBBS OU BOVAS para 4 pessoas, eu e meus tres filhos menores de idade(1, 3 e 8 anos)(não sei como poderia deixar nos seus nomes...deveria abrir 3 contas na corretora? Isto é permitido?
    E somente para eu, comprar TD também ( uns 20 % do capital).SENDO QUE UMA PARTE PARA CURTO PRAZO , E OUTRA, PARA UNS 15 ANOS.
    Porém, quanto ao tesouro direto, me surgiu outra dúvida...Gosto sempre de ter um capital líquido, em um fundo de renda fixa, para poder aproveitar alguma oportunidade excepcional que apareça, seja um empréstimo, seja um pequeno negócio barato,ou outra coisa...Gostaria de saber se para um dinheiro que precisarei a qualquer momento, também seria compensador comprar tesouro direto ao invés de deixar no fundo de meu banco.
    De resto, parabéns pela qualidade da informação aqui encontrada, e desejo sucesso a meta de nosso moderador

    ResponderExcluir
  37. Rogério,

    Uma boa fonte para pesquisar essas questões operacionais e, caso não encontre as respostas (o que é raro, já que são muitos os temas abordados)é o forum do clube do pai rico.

    Lá tem um pessoal bacana, inclusive o viverderenda e outros que comentam aqui.
    Um abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  38. Rogerio, antes de tudo cabe ressaltar que aqui não é um fórum e, portanto, não sou moderador de nada. Terei prazer, no entanto, de responder todas suas perguntas dentro do razoável.

    Acho muito mais prático você abrir apenas uma conta e ajeitar tudo em testamento, ou posteriormente com doações, até pq vc vai ter que justificar pra receita de onde seus filhos tão tirando a grana pra investir. Isso diminuirá os custos com transferências e corretagens de 4 contas. Fuja do vgbl como o diabo foge da cruz.

    O TD tem uma liquidez boa, porém não ótima. Você pode vender os títulos toda quarta-feira a uma taxa bem pequena (geralmente de 0,1%). Ainda assim, pra efeitos práticos, talvez um CDB seja mais atraente.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  39. ...Tesouro Direto e PIBBs


    hehe,he,he...desculpe-me quanto ao MODERADOR! Foi só força de expressão, mas o que importa é que lhe desejo sucesso em sua jornada !
    Realmente andei consultando o "modus operandi" para se abrir diversas contas na corretora, e realmente é burocrático, além das questões referentes á custos de transferências, que pesam no longo prazo. Vou seguir a sua sugestão, e irei abrir apenas mais uma conta específica para os 3 filhos, em meu nome mesmo. A doação depois se encarregará do restante. Nesta conta pretendo adquirir somente PIBBs, visto que o horizonte para resgate será de 14 a 21 anos(diferença de idade do mais novo para o mais velho).
    Agora, para minha conta pessoal, pretendo adquirir PARA APOSENTADORIA NO LONGO PRAZO(resgates iniciam em torno de 2028), 80 % de PIBB e 20 % de tesouro direto, comprando mes a mes título de vencimento de longo prazo.
    Para o curto prazo( em torno de 1 ano), pretendo utilizar uma parte de meu ordenado para um bom fundo de renda fixa, pois acredito que fica mais líquido e menos burocrático,do que deixar em título de curto prazo do TD no caso de uma retirada mais urgente, você não acha ?
    Mais uma vez, parabéns pela qualidade de informação aqui postada !

    ResponderExcluir
  40. Rogério, não tenho nada a acrescentar no seu plano. Está excelente.

    Abraços!

    ResponderExcluir